sexta-feira, agosto 25, 2017

A IMPRENSA ITAUNENSE


A imprensa em Itaúna foi um fato que precedeu a todas as vitoriosas inciativas que vieram colocar o município numa respeitável posição econômica no Estado.
Antes da primeira indústria e antes da emancipação política administrativa, já existia aqui um magnífico órgão de imprensa. Era o “CENTRO DE MINAS”, cujo primeiro número saiu em 1890, sendo seu fundador Manoel Gonçalves de Sousa Moreira.
Bem analisada, verifica-se que a história desta comuna começa exatamente naquele ano. A partir dele é que o distrito de Santana de São João Acima levanta-se para se impor no cenário mineiro. Estavam nessa ocasião solidamente entrelaçados e formando um único bloco, as gerações dos Gonçalves e Nogueiras, pioneiros da civilização itaunense em todos os setores e atividades.
Dos inúmeros jornais, alguns tinham um fundo exclusivamente literário como “ASTREIA” “A VIOLETA”, “O SEMEADOR, “A ESCOLA”, VOZES DOS ESTUDANTES” e “LIBERDADE”. Os demais sempre reservaram páginas inteiras para matéria desta natureza, mas foram sobretudo noticiosos, principalmente dos assuntos locais.
Pelo humorismo suave e oportuno de que eram cheias as suas páginas, se destacaram: “O ZUM ZUM”, “O FURÃO” e “O AVANTE”.
“FOLHA AZUL” que se publicou em 1896, tinha a originalidade de ser redigida em verso e a particularidade de ter o tamanho de “VOSSA SENHORIA”, o minúsculo jornalzinho que hoje se publica em Belo Horizonte, vangloriando-se de ser o menor jornal do mundo...
Na quase totalidade os jornais itaunenses foram semanários e tiveram o formato 32.
Os jornais que tiveram maior número de anos de duração foram “CENTRO DE MINAS”, “MUNICÍPIO DE ITAÚNA, “O ITAÚNA”, “TRIBUNA DO OESTE”, “ITAUNA” e “FOLHA DO OESTE”.
Houve sempre nos jornais daqui uma tendência para a adoção de pseudônimos.
Materialmente a imprensa constituiu sempre um pesado ônus, mas nunca levou vencidos os seus idealistas. Nunca houve profissionais. Seus realizadores foram operários que sacrificaram as horas reservadas a um justo descanso, para confeccionar a matéria. Mantida sempre com sacrifício, mas nunca derrotada, vaia imprensa itaunense cumprindo o seu destino histórico na vanguarda dos grandes acontecimentos.


CRONOLOGIA DOS JORNAIS ITAUNENSE
JORNAL
DATA
DIREÇÃO
Centro de Minas
1890-1897 (1ªfase)
Manoel Gonçalves de Sousa Moreira
A Violeta
1896-1897
Aureslina de Faria e outros
Astréia
1896-1898
Joaquim Marra da Silva
Folha Azul
1896-1897
Clube Literário Progressista
O Itaúna
1902-1906
Ladislau Gonçalves
Município de Itaúna
1904-1909
Dr. Augusto de Sousa, Thomás de Andrade e Francisco de Araújo Santiago
Centro de Minas
1921-1922 (2ª fase)
Francisco Araújo Santiago, Mário Matos e Hidelbrando Clark
Tribuna do Oeste
1925-1927
Mário Matos, Dr. Antônio de Lima Coutinho, Dr. Dorinato Lima, Dr. Afonso dos Santos, Dr. Lincoln Machado e Dr. Ovídio Machado
O Itaunense
1929 (1ªfase)
A. Couto Vale
O Vicentino
1920
Irmandade de São Vicente
O Minuto
1927-1928
Maria de Cerqueira Lima e Ivolina Gonçalves
O Furão
1930-1935
Jesus Drumond, Mário Soares, João do Centro, Victor Gonçalves, Geraldo C da Cruz, Dimas F da Cruz, Fajardo Nogueira e Hermínio Gonçalves.
Itaúna
1931
Hely Nogueira Jr., Dr. Lima Coutinho, dr. Pereira Lima, Edwar Nogueira e José Santiago.
Zum Zum
1922-1926
Mário Matos, José Santiago, João Dornas e Hidelbrando Clark
O Semeador
1932-1933
Pe. Inácio Campos
A Escola
1932-1934
Órgão da escola Normal de Itaúna
Vozes dos Estudantes
1932-1933
Nair Gonçalves, Maria da Silva e Yole Araújo
Jornal de Itaúna
1932-1935
Viriato Fonseca, João Batista de Almeida e Waldemiro T. Santos
O Avante
1938-1940
Sebastião Nogueira Gomide, dr. João Gonçalves Nogueira, dr. Paulo Dias Corrêa, Hilton Gonçalves, prof. Anselmo Barreto, prof. Viriato Fonseca
A Mocidade
1944-1945
Raimundo Corrêa de Moura e Osmar Barbosa
O Itaunense
1945
Oscar Dias Corrêa
Tribuna Itaunense
1949-1950
Antônio Tarabal, Milton Penido, Célio Soares de Oliveira, Ary Vieira Porto, Lauro Antunes de Morais
Folha do Oeste
1944
Sebastião Nogueira Gomide, Amadeu Porto, Antônio Dornas de Lima, Yara Tupinambás, José de Cerqueira Lima, dr. Lincoln Nogueira Machado e José Valeriano Rodrigues
Liberdade
1949-1951
Edson D’Amato, Órgão do Colégio Sant’Ana e Escola Técnica de Comércio Santana.


REFERÊNCIA:
Texto: Raymundo Corrêa de Moura
Pesquisa: Charles Aquino
Revista Acaiaca: org. Celson Brant. Belo Horizonte, ano 1954, p.169,170, 171 e 172.
Acervo Documental: Arquivo Público Mineira. Disponível em: http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/modules/jornaisdocs/photo.php?lid=130602




0 comentários:

Postar um comentário