sábado, abril 07, 2018

NOVA MATRIZ: PARTE II

UM APELO POR MORFEU

Agora em que discute o local para o levantamento da Nova Matriz, itaunense, o rabiscador destas linhas, atendendo a um natural impulso de sua consciência, e certo de que traduz o pensamento da maioria dos itaunenses, ousa, data vênia, fazer um apelo, destas colunas, à douta e digna comissão encarregada do seu soerguimento, e especialmente aos srs.
Prefeito Artur Contagem Vilaça, Cel. João de Cerqueira Lima e Dr. Dario Gonçalves de Souza, para que a Nova Matriz seja erigida não no lugar da velha, mas no lugar do “Cemitério Velho” onde estão os alicerces da planejada Catedral e onde jazem os restos mortais dos nossos antepassados itaunenses, a quem devemos o mais profundo respeito e mais sincera veneração.
Há neste apelo, que é sincero, bom senso, critério e uma nobre intenção. O local do “Cemitério Velho” está magnificamente apropriado para a referida construção, não só pela sua área vastíssima e bela, não só pela sua altitude panorâmica, como também pela sua esplendida situação, mais afastada do bulício e da trepidação da cidade, mais propício à meditação e ao recolhimento.
Afora isto, que somente, e sobejamente, recomenda o local, ali foi por longos anos a morada dos mortos, lugar de respeito próprio para um templo, e não para uma praça pública.
Medite um pouco a douta comissão. É preciso que ali se construa a nova casa de Deus, porque de outra forma, isto é, não a construindo no referido lugar, aquele sagrado recanto, que nos merece o máximo de respeito, ficará ali eternamente esquecido, cheio de mato, servindo de despejo do povo e de esconderijo para os mal-intencionados.
De resto, deixando de construir a Nova Matriz na Praça João Pessoa, não prejudica este em nada, antes torna-a mais espaçosa e muitas vezes mais bela e mais atraente. Além disso, que é razão de sobra, evitam-se desgostos e amolações por ocasião dos corsos carnavalescos, nos dias de festa do Rei Momo.
Pode-se aproveitar o mesmo alicerce ou fazer outro em proporções menores, mas a certeza de que está fazendo um templo para muitas gerações. Assim sendo, é que ouso dirigir este apelo ao coração, ao bom senso e ao espírito esclarecido da douta e digna comissão encarregada do levantamento da Nova Matriz.



Jornal de Itaúna. Itaúna, 29 de abril 1934, nº 81, p.1. Diretor Redatorial: Viriato Fonseca. Diretor Gerente: João Batista de Almeida
Pesquisa e Organização: Charles Aquino
Acervo: Instituto Cultural Maria de Castro Nogueira - ICMC


0 comentários:

Postar um comentário