quarta-feira, março 22, 2017

JADIR MARINHO

JADIR MARINHO: PREFEITO DA EDUCAÇÃO E DO MEIO AMBIENTE


Jadir Marinho de Faria nasceu na fazenda “Pasto da Palha”, em Itaúna, em 15 de fevereiro de 1920, filho de Francisco Marinho de Faria. Teve um irmão gêmeo, Jair Marinho de Faria. Seus avós paternos foram Marinho Olímpio de Faria e Ana Isméria de Oliveira, sendo curioso, assinalar-se que o prenome do avô, Marinho, se tornou o sobrenome da tradicional família itaunense. Seus avós maternos foram Antônio José dos Santos (Antônio do Bá, precursor da odontologia no município) e Maria Joaquina dos Santos.
Jadir Marinho de Faria iniciou o curso primário em uma escola rural, perto da fazenda Calambau e terminou no grupo escolar “Dr. Augusto Gonçalves”. Trabalhou desde a mais tenra idade, até completar 21 anos, nas fazendas “Curtume” e “Calambau”, de propriedades de seus pais.
Este Marinho era a figura clássica do self-made-man que, mercê de sua inata inteligência e dedicação ao trabalho, abriu espaços no universo da vida itaunense, e as principais variáveis de sua intensa ação fora as atividades empresarial e política.
Transferiu-se em meados de 1941, para Divinópolis, onde fundou o Curtume Irmãos Marinho, permanecendo ali até 1944, quando retornou a Itaúna e comprou, junto com Jair Marinho, a tradicional Casa Guarany, passando a transacionar com tecidos e armarinhos. Colaborou, em 1945, para a criação da Fundição Marinho, na qual trabalhou até 1948. Fundou em 1949, o Curtume Santa Isabel S/A, sua mais importante e ousada iniciativa empresarial, que chegou a proporcionar empregos e se transformou na terceira produtora de manufaturados e artefatos de couro de Minas Gerais.
A ação política sempre o seduziu. Elegeu-se vereador, pela primeira vez, em 1954, com 128 votos, para o mandato 1955/1959, quando foi Prefeito Milton de Oliveira Penido. Foi então vice-presidente da Câmara, em 1956, 1957 e 1958. Reelegeu-se vereador em 1958, agora com 204 votos, para o mandato 1959/1963, na administração do Prefeito Célio Soares de Oliveira.
Em 7 de outubro de 1962, Jadir Marinho elegeu-se vice-prefeito, evidenciando o forte apoio popular que já detinha. Ocupou este posto no segundo mandato do Prefeito Milton de Oliveira Penido, de 1º de fevereiro de 1963 a 31 de janeiro de 1967, sendo seu leal e eficiente colaborador.
Em 15 de novembro de 1970 obteve a expressiva votação de 6.337 sufrágios e elegeu-se Prefeito de Itaúna, derrotando outro digno itaunense, Walter Marques da Silva, que recebeu 4.058 votos. Seu vice-prefeito foi Antônio Peres Guerra. Dedicou, como Prefeito, particular atenção ao ensino, construindo dois grupos escolares, o “Dr. Lincoln Nogueira Machado”, no bairro de Lourdes e o “Dona Maria Augusta de Faria”, no bairro Piedade, além de três escolas na área rural.
A infraestrutura da Escola Polivalente foi realizada em sua administração e ele contribuiu também para a que a Escola de Fundição “Marcelino Corradi”, única no gênero na América do Sul, viesse para Itaúna. Colaborou ainda com a Universidade de Itaúna, doando terrenos para a ampliação do prédio da Policlínica da Faculdade de Odontologia e para o Centro de Educação Física e Desportos. Foi, ainda, no início de seu mandato, que se instalou em Itaúna o MOBRAL, sendo que a prefeitura contratou o transporte para os professores da área rural. Era a continuidade da erradicação do analfabetismo no Município.
Realizou-se, ainda em sua gestão, o levantamento topográfico da bacia do Rio São João, estudos estes necessários para a elaboração de projetos de drenagem e retificação do rio, obras então tão necessárias, até os dias atuais. Revelava-se aí, já sua preocupação com o meio ambiente.
Outra grande obra de Jadir marinho de Faria foram as desapropriações de terrenos e consequentemente abertura da Av. Jove Soares, hoje o novo centro comercial de Itaúna e uma das principais artérias do trânsito de veículos no centro da cidade. A abertura da Jove Soares também foi um grande passo para o saneamento básico de Itaúna, hoje um dos melhores do País. Sua administração, enfim, muito embora curta, de apenas dois anos, foi profícua, generosa e digna.
Ele se casou em 1949 com Aída Moreira de Faria e o casal gerou seis filhos, que horam seu nome: Gilson Moreira de Faria, dinâmico industrial, Iwens Moreira de Faria, médico, Linconln Moreira de Faria, médico e Delegado do Conselho Regional de Medicina, Silmar Moreira de Faria, comerciante, Vereador e ex-Presidente da Câmara Municipal de Itaúna, Olber Moreira de Faria, médico e Provedor da Casa de Caridade Manoel Gonçalves de Souza Moreira e Neider Moreira de Faria, médico, ex-Vereador, ex- Presidente do PSDB e Deputado Estadual eleito pelo PPS.
Jadir Marinho de Faria, como empresário dinâmico e progressista, no ano de 1978 enfrentou, como dirigente principal do Curtume Santa Isabel S/A, por ele criado, sérias dificuldades financeiras, tendo-se em vista a instabilidade econômica existente no País. Enfrentou a crise com dignidade, mas isto contribuiu para o seu prematuro falecimento, em 19 de outubro de 1980, com 60 anos de idade. Porém, todos os compromissos financeiros assumidos foram por eles pagos com escrupulosa honradez.
Jadir Marinho de Faria, dedicado ao lar, foi chefe de família exemplar e, como político e empresário, contribuiu, valiosamente, para o desenvolvimento municipal, como se demonstrou neste esboço de sua histórica personalidade.   

Fonte:
Cidade de Itaúna - Edição III / Personalidades de Itaúna, Vile Ed, 2003., p.21.
Redação: Guaracy de Castro Nogueira / Geovane Vilela
Coordenação Editorial e de Pesquisa: Conceição Lopes
Revisão: Guaracy , Professor Miranda e Geovane Vilela
Acervo Fotografia : Revista Cidade de Itaúna

Um comentário:

  1. Quem foi Olímpio Moreira? Nome dado ao tão jovem bairro de Itauna d'outro lado do rio São João?

    ResponderExcluir