domingo, julho 02, 2017

ITAÚNA FUTEBOl: VICENTÃO & BUTÃO

Partida de futebol em Santanense: “Souza Moreira x Esporte Clube”.
  Grande defesa do goleiro Murilo José, camisa 20.  

Vicentão era pedreiro, pintor, massagista do "José Flávio de Carvalho F.C." e centro-avante nas partidas disputadas nos arredores de Itaúna. Estatura mediana e muito parrudo. Daí o apelido. Como massagista, diziam que dispensava o álcool para friccionar as caneladas desferidas nos atletas. Bastava um "bafo" caprichado na perna dos lesionados. Bebia muito. Boa gente, alegre e brincalhão.
Butão era "socado", baixinho atarracado. Profissão indefinida. Prendas diversas, conhecida nos dias atuais como Serviços Gerais.
Arranjaram um jogo num domingo no Pasto das Éguas. Campo de terra, rodeado de poucas casas e plantações ao redor. Iriam jogar contra o time do Zico Pé de Chumbo, figura emblemática do lugar. Trabalhava na fazenda do Antônio Chaves e tinha a honra e soberbia de ser compadre do Athos Jove, filho do patrão, cultor da língua francesa. Zico aprendera algumas palavras do idioma de Flaubert e quando tomava umas pingas esnobava os vizinhos, repetindo como papagaio, palavras na língua gaulesa.
O time do Vicentão se ajeitou na carroceria de um caminhão do Alfredo Lopes. O motorista era o Cumbuca, filho do Alfredo. Transportava o time sem cobrar. Enquanto assistia ao jogo, tomava umas cachaças e se divertia.
O jogo estava duro. Sol quente, já perto do meio-dia e nada de gols. Goela seca dos atletas. Secura de pinga, que água não cura.
Quase no fim do jogo a bola foi chutada pelo time do Zico numa plantação de abóboras moranga. Vicentão corre para apanhar a pelota.
Volta com a bola e uma abóbora bem taluda debaixo do braço. Na lateral, grita para o Butão: " vou jogar na área, vai de cabeça Butão".
Dito isso, jogou a abóbora. Butão entrou de testa com toda vontade. Só não quebrou o pescoço, por falta de tal atributo. Desmaiado, demorou a voltar a si. Jogo encerrado sem vencedor ou perdedor. A tempo de molhar a garganta com boa pinga do Alambique doMozart, um pouco a frente, já nos Catumba. Cumbuca ao volante do Chevrolet não regateou e tocou para lá. A partida ficou na história.

*Urtigão (desde 1943) é pseudônimo de José Silvério Vasconcelos Miranda, que viveu em Itaúna nas décadas de 50 e 60. Causo verídico enviado especialmente para o blog Itaúna Décadas em 30/06/2017.

Acervo: Murilo José e Clube Atlético Souza Moreira ( Org. Willian Douglas)


0 comentários:

Postar um comentário