quinta-feira, junho 29, 2017

PADRE CAUPER: MISSIONÁRIO ESPIRITANO EM ITAÚNA


A tragetória do missionário amazonense do município de Tefé, o Espiritanto Revd. Pe. Cáuper, é no mínimo fascinante e gloriosa! Após sair da exuberante Amazônia, percorreu  por plagas lusitanas, passando pelas Gerais e fincando suas raízes na cidade maravilhosa, que o recebeu de braços abertos — o Rio de Janeiro.   

O INÍCIO
Em uma viagem pela América Latina, no ano de 1893, após visitar um colégio que os Espiritanos haviam inaugurado no ano de 1891 em Lima (Perú), o visitador das obras espiritanas, Pe. Xavier Libermann em trânsito pelo Brasil, passou pela cidade do Rio de Janeiro e encontrou com o recém nomeado primeiro Bispo de Manaus, D. José Lourenço da Costa Aguiar, o qual, demonstrou interesse e necessidade em trazer missionários para a diocese daquele município brasileiro.
Este aproveitou a oportunidade para falar das grandes necessidades da nova diocese, pediu a ajuda da Congregação e convidou o Pe. Xavier para a sua tomada de posse em Manaus. Então, o Pe. Xavier teve oportunidade de conhecer o cónego Dupuy, sacerdote secular francês, que era vigário da paróquia de Sta. Teresa em Tefé, que influenciará na vinda dos Espiritanos para Tefé. A cidade de Manaus tinha apenas 2 padres para 50 000 habitantes, e no interior havia só 5 ou 6 padres. (ESPIRITANA, 2004, p.8)

 Chegando em Paris, o Pe. Xavier levou o pedido à direção da Congregação, “defendendo o envio dos Espiritanos aos índios da Amazônia” (ESPIRITANA, 2004, p.8).
No ano de 1896, o Bispo José Lourenço segue para Europa para pedir apoio ao Conselho Geral e reforçar o pedido do Espiritano Padre Xavier. O desideratum foi alcançado e no dia 13 de abril de 1897 em Lisboa, os missionários, padre Parissier e padre Friederich, desembarcaram em Manaus e os outros, padre Xavier Libermann e o irmão Donaciano seguiram viagem até o município de Tefé do estado do Amazonas.  Instalados no local e trabalhando muito, os Espiritanos construíram a “Escola Agrícola e Industrial de Bocca de Tefé”, contendo internato, carpintaria, curtume, torno mecânico, fábrica de chocolate, de vinho, caju, entre outros. (ESPIRITANA, 2002, p.56)   

MISSIONÁRIO CÁUPER
No ano de 1913, dava início a construção do Seminário de São José, com destino a formação de padres. Após a conclusão do seminário em 1921 e com a mesma finalidade de trabalho e formação, criou-se também um internato no mesmo local. Nascido no município de Tefé do estado do Amazonas, no dia 6 de março de 1919, Manuel de Lima Cáuper, foi um dos primeiros a passar pelo seminário (ESPIRITANA, 2002, p.57).
Na década de 30, o jovem missionário Cáuper seguiu para Portugal com objetivo de estudar na cidade de Braga, realizando o seu noviciado no ano de 1942. Os votos perpétuos e ordenação sacerdotal, foram recebidos no Brasil em outubro de 1947 na Catedral de Santa Tereza, em Tefé. Homem simples e usando sua batina somente nas horas de cerimônia, o Padre Manuel de Lima Cáuper, foi missionário por dois anos no alto dos rios amazonenses.


ITAÚNA
Em Minas Gerais, passou pela cidade de Curvelo, chegando no início da década de 50 à Itaúna, seu trabalho era ensinar em ginásios e seminários das congregações.  O estabelecimento que trabalhou no município itaunense, denominava-se, Ginásio Sant’Ana, hoje Colégio Santana, cujo local era administrado pelos padres missionários da Congregação do Espírito Santo (Tombo II, p.20,26).
O provedor responsável, era o Pe. Pedro Schoonakker auxiliados pelo missionário Pe. Cáuper e os padres holandeses. Em 1954, era iniciado os trabalhos do Seminário denominado “Menor de Nossa Senhora de Fátima”, com um número de treze alunos matriculados (Tombo II, p.28). O reitor responsável, foi o Revdo. Padre Adrianus Petrus Turkemburg e mais dois padres integrando os serviços — Pe. Martinho Cools e Pe.Luiz Turkenburg. No ano de 1955, no dia 9 de março a cidade recebeu a visita do Superior Geral dos Padres do Espírito Santo, o Revdo. Padre Francisco Griffin (Tombo II, p.42).
(clicar na imagem para melhor visualização)



CONGRESSO VICENTINO DIOCESANO: DIVINÓPOLIS & LUZ

De acordo com o senhor Bispo de Luz, Dom Belchior da Silva Netto, o Congresso Vicentino foi feito com o consenso da duas Dioceses. Itaúna se preparou dignamente para este certame de caridade e de união. Foram organizadas as diversas comissões (Tombo II, p. 61,62):

Central
Dom Cristiano de Araújo Pena, Bispo Diocesano, Bispo Divinópolis
Central
Dom Belchior Joaquim da Silva Netto, Bispo Diocesano de Luz
Organizadora
Pe. Antônio Wiemers, vigário de Santanense, Itaúna
Organizadora
Pe. Martinho Cools, vigário de vila Padre Eustáquio, Itaúna
Organizadora
Antônio Fonseca de Faria, presidente Conselho Diocesano, Itaúna
Organizadora
José Augusto de Carvalho, presidente Conselho Particular, Itaúna
Finanças
Dr. Célio Soares de Oliveira, Prefeito Municipal, Itaúna
Hospedagem
Dr.Guaracy de Castro Nogueira, Gerente da Cia. Itaunense, Iaúna
Propaganda
Dr. Milton de Oliveira Penido, Itaúna
Secretário
Dr. Lauro Antunes de Morais, Itaúna
Arte
Pe. Manoel de Lima Cáuper, Itaúna
Arte
Dona Wanda Nogueira Corradi, Itaúna
Ornamentação
Murilo Santos Guimarães, Itaúna
Ornamentação
Dona Artumira de oliveira, Itaúna
Recepção
Antônio Henrique da Fonseca, Itaúna
Recepção
Dr. Ivan Perillo, Itaúna


         BANDEIRAS: Foram confeccionadas mais de trezentas bandeiras de Itaúna, que foram colocadas na frente das casas.
ESCUDO DO CONGRESSO: No centro deste escudo um coração dentro deste uma lâmpada com uma chama, simbolizando a missão do Vicentino — a caridade ardente. Em cima do escudo — 2º Congresso Vicentino – Itaúna Julho 1962. Em baixo — “Deus Charitas est”. Na frente de todos as casas e nos postes da praça e ruas principais foi colocado o escudo.
DISTINTIVO DO CONGRESSO: Foi o escudo impresso e cada congressista trazia em seu paletó. A confecção foi dádiva do Banco Minas Gerais S.A.
PROGRAMA DO CONGRESSO: Foi uma obra artística. Na capa uma vista da praça com a matriz de Itaúna em cor, contendo os seguintes dizeres: 2º Congresso Vicentino Diocesano de Divinópolis e de Luz — “Unidos na Caridade de Cristo” De 28 de Junho a 1º de Julho de 1962. Itaúna — Minas Gerais.


FRUTOS MISSIONÁRIOS
Pe. Adriano Turkemburg foi bastante influente na vida de um garoto itaunene — Mário Clemente Neto, nascido no ano de 1940, em uma comunidade rural denominada, Capão Escuro, que chegou a pertencer a Itaúna, após o ano de 1948 passou para Carmo do Cajuru. Sendo o 15º filho de uma numerosa família de 20 irmãos, Mário não hesitou quando recebeu o convite do padre missionário para servir a Deus. Diante da resposta, o garoto que acabar de se formar no Ginásio Sant’Ana, iniciava uma grande jornada. Passando pelo seminário de Mariana, Teresópolis, no Rio e chegando até Roma, onde estudo teologia e várias línguas, além do latim.

ORDENAÇÃO SARCEDOTAL
Itaúna assistiu com grande alegria a e emoção a ordenação de um de seus filhos: Mário Clemente Neto, pertencente à Congregação dos padres do espírito Santo, que dirige o Ginásio Sant’Ana, no dia 14 de agosto às 10 horas na matriz Sant’Ana. A igreja foi ricamente ornamentada. O oficiante foi o Bispo Diocesano Dom Cristiano Pena, acompanhado de um grande número de sacerdotes, regulares do Espírito Santo e Franciscanos, bem como os seminaristas destas mesmas entidades (Tombo II, p. 80).


PRIMEIRA MISSA
Dia 15 de agosto, festa da Assunção de Nossa Senhora; o Pe. Mário Clemente Neto celebrou a sua 1º missa, foi concelebrada com mais quatro padres, entre os quais, o vigário e o superior dos padres do espírito Santo. O côro foi dos seminaristas dirigido pelo Pe. Geraldo. A pregador foi o pe. Manoel de Lima Cáuper,  sendo para todos, momentos de grande emoção e piedade (Tombo II, p.80).
Dom Mário Clemente Neto, CSSp até hoje exerce um grande trabalho no Amazonas, no município de Tefé. Escreveu um livro “Vim para Servir” – Cartas de Um Missonário. 

Em sua passagem por Itaúna, Padre Cáuper realizou grandes trabalhos missionários e culturais. Orador pujante de grande eloquência, também nas festivas datas cívicas – como nos vistosos desfiles de 7 de setembro- estava sempre à frente do microfone, a inflamar os jovens alunos para o amor à pátria!  Sendo músico, dotado de grande inspiração e amor por nossa terra barranqueira de Sant’anna, compôs um hino em homenagem à cidade: “Avante Itaúna” e outro em louvor às bodas de prata sacerdotais do então pároco de Sant’anna: “Hino ao Pe. José Netto” (no ano de 1962). Outro presente para a comunidade itaunense, seria o hino que compôs para os trabalhadores:

HINO OFICIAL DA COMPANHIA INDUSTRIAL ITAUNENSE
Letra & Música: Revmo. Pe. Manuel de Lima Cáuper

Ao primeiro clarão da alvorada,
Vibra ao longe a sirene de alerta!
Operários, à fina sagrada! ...
Que o trabalho enobrece e liberta.

CÔRO:
Avante operários da Itaunense ...
Nós somos a voz do progresso a marchar!
Nós somos a força indomável que vence
Cumprindo o dever: Trabalhar! Trabalhar!

Capital e trabalho marchando
Bem unidos em prol do amanhã.
São as forças da paz no comando
Das vitórias da ordem cristã!

Operários da Itaunense,
Eia, pois: — Trabalhar! Produzir!
A riqueza que a toso pertence
Vem trazer-nos ditoso porvir.

Dando as mãos, no valor fatigante,
À conquista do mesmo ideal,
Operários, patrões: — Sempre avante!
Pela nossa vitória vinal.

Operários, cristãos, brasileiros,
Demos graças, num preito de fé.
Ao patrono comum dos obreiros,
Nosso guia fiel São José.

Ao fulgor deste cinquentenário,
Celebremos a glória, o louvor
Desse nobre varão lengendário
Nosso grande e imortal fundador.

Foi aproximadamente uma década de dedicação, trabalho e amor, que Padre Cáuper realizou e deixou nos corações itauneses, cuja, missão rendeu bons frutos e seus ecos, ressoam nos corações das gerações que o conheceram até hoje.


PESQUISA:
Charles Aquino, graduando em História, 8º período, UEMG/Divinópolis/ MG.
Historiador Escritor Professor Luiz Mascarenhas, Bacharel em Direito / Licenciado em História pela Universidade de Itaúna/MG.

ORGANIZAÇÃO: Charles Aquino

REVISÃO: Prof. Luiz Mascarenhas

REFERÊNCIAS:

LIVRO DO TOMBO II: Paróquia de Sant’Anna de Itaúna.

Missão Espiritana: Revista das Circunscrições Espiritanas Lusófonas. Província Portuguesa da Congregação do Espírito Santo, junho 2002 vol 1, e 2004 vol 5, p.8,9,56,57.

Diocese de Divinópolis: Biografia Mário Clemente Neto. Disponível em:  https://www.diocesedivinopolis.org.br/index.asp?c=padrao&modulo=conteudo&url=05585&ss=7

História Província Portuguesa: A restauração da província de 1910 aos nossos dias. Disponível em: https://view.publitas.com/cssp/historia-da-provincia-portuguesa/page/254-255  p.423.

Acervo: Foto Padre Cauper. Disponível em: http://artefvc.blogspot.com.br/

Homenagem ao Padre Missionário: Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=FXFfVzXIE6U&feature=channel_page

Acervo: Formandos 1957 no Colégio Santana/Itaúna: Marcos Lacél Camargos



2 comentários:

  1. Excelente levantamento com enorme valor histórico para a cidade de Itaúna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida ArteCult Brasil. Um grande abraço e continue com o ótimo trabalho que tem realizado!

      Excluir