quarta-feira, junho 28, 2017

MEMÓRIAS DO CINE REX PARTE I


*Urtigão

O Cine Rex, plantado de frente para a praça da matriz de Itaúna, era uma instituição da cidade. Deixara de ser um local de entretenimento e lazer e fora promovido a referência geográfica pelo Pe. José Ferreira Netto. Explico: na quarta-feira Santa, realizava-se a Procissão do Encontro. Do alto-falante o vigário anunciava o trajeto do cortejo: " os homens pela rua Antônio de Matos e as mulheres pela porta do Crispim do Rex. O encontro acontecerá na frente da matriz.". Não tinha erro. O cortejo das mulheres carregando o andor da Virgem e o dos homens o andor de Cristo. Anos e anos a mesma coisa. Sempre com o Cine Rex e seu proprietário no contexto.
O vetusto cinema nunca chegou a ser mudado em sua totalidade. Da velha sala de exibições, que tinha geral, isto é uma galeria acima da plateia, lembro-me bem. Lugar preferido da molecada nas matinês de domingo de manhã. Filmes de Rocky Lane, o cowboy, e seu cavalo Blackjack. Quando ele aparecia na tela, no encalço dos mascarados, a meninada fazia um barulho ensurdecedor, batendo os pés no piso de assoalho. Com a reforma, demoliram o puleiro e os ingressos mais baratos. Uma pena. Demolição por questões de segurança.
Fizeram uma nova sala, em um só nível. Deixaram a velha fachada e a entrada. Permaneceu e acredito que nunca fizeram algo novo.
O Rex e seu dono, o Crispim, eram parte importante de Itaúna. Muito mais do que o velho Cine Sant'Ana, na rua Silva Jardim e o Bagdá, que nasceu com o nome de Cine Popular. Nunca tiveram o apelo e a tradição do Rex.
Era nele que exibiam os filmes de Mazzaropi, caipira bonachão, recorde absoluto de bilheteria. Filas quilométricas, a dobrar a esquina da rua Capitão Vicente. Foi lá também a exibição de "Quo Vadis", de Spartatacus, de Ben Hur, de os Dez Mandamentos e outras célebres películas de Cecil B.de Mille e outros menos cotados.
Também no Rex, assistimos O maior espetáculo da Terra, história do mais famoso circo do mundo, que infelizmente deixou de existir em maio de 2017, por perseguição dos " politicamente corretos". No velho cinema, assisti faroestes maravilhosos, com John Waine, Gary Cooper, Alan Ladd e o espetacular "Sete homens e um destino", com Yul Bryner a frente do elenco.
O Rex exibiu para a rapaziada boquiaberta, o filme Europa de Noite, primeira película a mostrar "streep teases" , filmados no lendário Crazy Horse Saloon de Paris. Excelentes filmes de suspense, da lavra de Alfred Hitchok, incluindo Testemunha de Acusação, um dos clássicos do gênero.
Ir ao cinema, sobretudo aos sábados e domingos era quase uma obrigação. Costume de solteiros e casados, de jovens e casais de namorados, de moças namoradeiras e solteirões convictos. Os velhos cinemas de rua escreveram a história, modificaram os costumes e a moda. Infelizmente, tudo isso se perdeu na passagem inexorável do tempo.

 Uma historinha: O Rex exibira com enorme sucesso o filma Doutor Jivago, com Omar Shariff como galã. Logo em seguida, afixou um cartaz de Django - o pistoleiro. Conversa entreouvida entre dois capiaus. " Agora deram para fazer filmes de dotor. Semana passada foi o dotor Jivago e agora jávem o dotor Jango”.

*Urtigão (desde 1943) é pseudônimo de José Silvério Vasconcelos Miranda, que viveu em Itaúna nas décadas de 50 e 60. História enviada especialmente para o blog Itaúna Décadas em 28/06/2017

Acervo: Prof. Marco Elísio Chaves Coutinho -  Reunião Integralista década de 30. Objetivo desta foto é mostrar parte interna do cinema. Cine Rex foi palco de vários acontecimentos: Culturais, religiosos e políticos.

0 comentários:

Postar um comentário