quinta-feira, abril 13, 2017

SEMANA SANTA ITAÚNA 1898


SANT’ANNA DE SÃO JOÃO ACIMA: SEMANA SANTA - 1898

Tivemos o prazer de hospedar durante os dias da festa da Semana Santa aos Revdms. Padres Euzébio Nogueira Penido, Domingos Ferreira Martins e José Marinho; o primeiro digno vigário de Itatiaiuçu, o segundo de Mateus Leme e terceiro do externato municipal da cidade do Pará.
Estes preclaros sacerdotes vieram acolitar o nosso digno e estimável vigário padre Antônio Maximiano de Campos durante os festejos da Semana Santa, e que depois de uma curta demora entre nós, regressaram a suas residências, deixando gravados em nossos corações os mais gratos sentimentos de simpatia que angariaram de todos quantos tiveram a ventura de tratar de perto com tão ilustres sacerdotes. Retiraram-se deixando-nos a grata reminiscência dos dias que com eles tivermos a felicidade de passar.
Estiveram deslumbrantes os festejos da Semana Santa nesta localidade. Às 7 horas da noite de quarta-feira de trevas, depois do sermão do pretório em que o Revdm. Vigário Antônio Maximiano de Campos fez mais uma vez ouvir a sua eloquentíssima palavra em uma ligeira e lindíssima alocação análoga ao acto. Saia da Igreja dos Passos a linda procissão do Senhor dos Passos que seguiu na maior ordem possível até ao encontro, onde o ilustrado e Revedm. Padre Domingos Ferreira Martins, do alto da tribuna sagrada derramou em lindíssimas palavras comoventes e cheias de fé o seu eloquente sermão, que foi geralmente apreciado.
O Revdm. Padre Martins mostrou a sua muita proficiência e o seu vasto conhecimento de história santa, mostrando diversos pontos e fazendo comparações em uma linguagem sã e cheia de virtudes.
A procissão da Santíssima Virgem que vinha ao encontro, estava sumptuosíssima — duas alas em que aproximadamente se encontravam cento e oitenta virgens, todas na melhor ordem seguiram a imagem que parecia contemplá-las e à sua candidez.
Seguia-se a procissão e ao entrar na matriz orou o digno e Revdm. Padre José Marinho, honra de sua classe, em um brilhante e sublime discurso, burilado pelo seu muito saber; narrou a vida de Cristo fazendo comparações que pareciam saídas dos lábios do Divino Mestre.
Quinta-feira, no mesmo horário do dia anterior, saía da matriz a procissão de Dores, essa tocante e bem ornamentada. Era calculado superior a seis mil o número dos devotos, filhos do cristianismo que prestavam justa e respeitada homenagem à Santíssima Virgem. A imagem era conduzida por quatro virgens e estava colocada em um rico e bem ornado andor. Percorreu as ruas de seu trajeto e chegada que foi à matriz.
Usou da palavra, o nobre orador sacro o Revdm. Padre José Marinho que não menos que no dia antecedente mereceu os aplausos dos ouvintes.
Às 7 horas da noite de sexta-feira da paixão assomou à tribuna sagrada o lustrado Revdm. Sr. Padre Domingos Martins. As últimas palavras caídas dos lábios do Redentor ao gênero humano, foram as primeiras d’aquele preclaro sacerdote — Consumatum est; foi esse o tema do Revdm. Padre Martins. E depois, conforme o seu discurso ia ordenando assim, e foram os apóstolos procedendo a tão linda e solene, quão tocante e sublime cerimonia do descimento da Cruz, àquele que exalou o último suspiro almejando a nossa salvação.
O Revdm. Padre Martins coordenou uma série de pensamentos tão tristes e em palavras tão repassadas de dor que os ouvintes derramaram copiosas lágrimas. Dalí seguiu-se a procissão cuja numerosidade e aglomeração de devotos era incalculável.
Todas as procissões foram feitas com a maior pompa e respeito possível e foram a acompanhados pelo Revdm. Padre Euzébio Nogueira Penido.
Sábado de aleluia houve missa cantada pelo Revdm. Padre Nogueira Penido acolitado pelos digníssimos padre Antônio Maximiano de Campos e José Marinho. Meu voto de louvor, pois, à comissão encarregada dos festejos, que forma verdadeiramente dignos de encômios.

Correspondente do Jornal Gazeta de Oliveira, 14/04/1893.



 FONTE:
GAZETA DE OLIVEIRA. ANO XII. Nº 554, DOMINGO 1 DE MAIO DE 1898, p.2.

PESQUISA: Professor Luiz Mascarenhas, Charles Aquino

ORGANIZAÇÃO:  Charles Aquino 

ACERVO FOTOGRÁFICO: IHP - Instituto Histórico de Pitangui / Arquivo judiciário

FOTOGRAFIA: Padre Antônio Maximiano de Campos / Itaúna/MG

0 comentários:

Postar um comentário