segunda-feira, julho 04, 2016

Capela de Santanense

(Clicar na imagem para ampliar)


CAPELA DE SANTANENSE

A ideia da fundação de uma capelinha no povoado de Santanense data de muitos anos, sempre lembrada, mas sempre adiada. O primeiro passo definitivo para esse fim foi em 27 de março de 1930. Nesta data, na Assembleia Geral Ordinária da Cia de Tecidos Santanense, pelo Sr. Juvenal Antônio Pereira foi apresentada a seguinte proposta que foi aprovada: “Fica a Cia. De Tecidos Santanense autorizada a contribuir com a importância de 3.000$000 (três mil réis), como auxilio para a construção de uma capela na Vila Santanense, em ocasião oportuna”.
Somente no dia 17 de abril de 1932, foram iniciadas as obras da capela. Neste dia na presença dos diretores da Cia de Tecidos Santanense, acionistas e operários, foi celebrada uma missa campal no local, pelo Revmo. Padre Ignácio Campos, então vigário de Itaúna, que após este ato benzeu com todas as solenidades do Ritual Romano a primeira pedra da capela, tendo nesta ocasião usado da palavra o Revmo. Vigário. Em seguida, foi lavrada uma ata, que depois de assinada pelos presentes, foi colocada dentro da pedra fundamental, assim como jornais e moedas da época.

As principais assinaturas foram:

Diretor presidente da Cia.  – José Gonçalves de Sousa

Diretor gerente da Cia. – Augusto Gonçalves de Sousa

Prefeito Municipal – Farmacêutico Arthur Contagem Vilaça.

Foi doado à comunidade uma área de 810 m2, onde foi construída a capela. Para a casa paroquial foi doado um lote de 8x45. Estas duas escrituras acham-se registradas no cartório José Santiago, sob o n° 2.560, livro nº 3-H, página 176.
A construção da capela ficou mais ou menos em Cr$ 18.000,00 (dezoito mil cruzeiros), tendo a Companhia contribuído com mais ou menos a metade deste valor. Construída a capela, foi proclamado padroeiro deste povoado o Sagrado Coração de Jesus, cuja foi benzida e entronizada no dia 19 de junho de 1933. No dia 17 de junho de 1934, foi solenemente benzida a capela pelo Revmo. Padre José Augusto Bastos, era então o atual vigário de Itaúna. Desta data em diante, sempre é celebrada a festa do Coração de Jesus com grande pompa.
Desde 1933, Padre Ubaldo Anselmo da Silveira, capelão da Santa Casa “Manoel Gonçalves”, dirigiu com zelo e carinho o serviço espiritual desta capela até em 1937. Padre Ubaldo, dedicado e bondoso para com as crianças, procurou organizar com muito êxito a missa dialogada das crianças. Em março de 1937, foi nomeado auxiliar do vigário de Itaúna, o Revmo. Padre Everaldo Molengraaff, o qual logo se interessou muito por Santanense.
Introduziu uma missa aos domingos e organizou o catecismo para as crianças. Floresceu com muita alegria o catecismo. No dia 30 de janeiro de 1943, às 19:00 horas na Igreja matriz de Itaúna, foi empossado como vigário de Santanense, padre José Ferreira Neto. Nesta época Santanense contava com mil e poucos habitantes e agora se verifica uma cifra de quatro mil.

Fonte: Paróquia do Coração de Jesus de Santanense: Histórico da Paróquia de Santanense, pag.26

0 comentários:

Postar um comentário