terça-feira, dezembro 10, 2013

Padre Antônio Maximiano

Padre Antônio Maximiano de Campos
(1863-1902)

(Quarto Pároco de Sant'Anna)

Por volta de 1870 , o Padre Antônio Maximiano de Campos comprou de Dona Custódia, proprietária da fazenda Berto, um terreno à margem do rio São João, abrangendo a várzea, onde há ainda hoje o pontilhão da estrada de ferro , e  no sentido oeste, uma outra passagem de água, indo até às proximidades da cachoeira da usina que hoje tem o nome do Dr. Augusto Gonçalves, medindo 132 alqueires. O padre era inclinado a lidar com criações e plantações. Naquele tempo, a Dona Custódia vinha assistir às missas, carregada numa liteira pelos escravos . Primeiramente, o Padre Antônio Maximiano fez uma pequena construção na parte alta de onde hoje se encontra o curral . Sé depois construiu a sede com 14 cômodos, com uma capela no seu interior, dedicada a Santo Antônio , e mudou-se para a fazenda , passando a dar assistência na Matriz somente aos domingos, indo a cavalo, hospedando-se na casa de Josias Gonçalves de Souza.  Moravam com o  padre, que era também delegado de ensino, dois escravos, Manoel  Carolina e Generosa.  Naquele tempo, a várzea era naquele trecho um alagado pantanoso que, no seu lento escorrimento, formava dois braços de rio, lugar infestado por pernilongos, e o Padre Antônio Maximiano usava um canoa para fazer a travessia do rio.
Na sua fazenda , o Padre Antônio Maximiano cuidava de  muitas variedades de frutas, principalmente uvas, e fabricava vinho, que era guardado no teto da casa onde ele subia usando uma escada móvel.  Certa vez, a escrava Generosa estava zangada com ele e tirou a escada do lugar, deixando-o de castigo por um bom tempo no teto da casa, o que custou à escrava uma boa refrega.
Só em 1875 , na administração do Padre Antônio Maximiano de Campos , as obras de reforma foram terminadas, com a pintura interna feita pelo artista Pedro Campos de Sabará, auxiliado por Antônio dos Santos, conhecido por Tonho do Bá. Era uma pintura sem graça, que os reparos de 1916 e 1926 fariam desaparecer.
O Padre Antônio Maximiano de Campos foi durante todo o período de sua assistência em Santana um bom amigo da paróquia. Era gorducho, bonachão, caridoso, displicente e apreciava bons pratos.  Soube reunir a seu redor muita simpatia e amizade. Morreu em 28 de fevereiro de 1902, vítima de uma dilatação do estômago , e durante seis meses, a paróquia esteve sem vigário .
Logo, Emídio Caetano Moreira foi a Bonfim e comprou a fazenda aos herdeiros do padre . Também em Santana, o padre tinha parentes , como o seu sobrinho Antônio Lopes Campos Sobrinho, o Tonico Lopes.
  Emídio Caetano Moreira , o velho, era fazendeiro na época em que o Padre Antônio Maximiano chegou a Santana.
 Olímpio Moreira, o Olimpinho , nasceu em 23 de novembro de 1906 e sempre morou onde morava o Padre . Agora mora atualmente o Sr. Romeu Moreira e a fazenda , que hoje se chama Boa Vista , é conservada zelosamente no mesmo estilo em que foi construída.  .

Fonte :  Resumo Livro Pe. José Neto (Comemoração 60 anos de Sacerdócio) Ano 1997
Páginas :105,106,107108
*Sr. Romeu Moreira (In Memoriam)


                            Padre Antônio Maximiano de Campos        


-Foi proprietário da Fazenda Boa Vista
-Foi delegado de ensino.
-Terminou as obras da ampliação da matriz de Sant’ana em 1875
-Foi presidente do” Clube Literário e Progressista” de 1884/85
-Secretariou a assembléia de constituição da fábrica de Tecidos Santanense fundada em 1891.
-Abençoou as instalações da Cia de Tecidos Santanense em sua inauguração em 7 de  set 1895.
-Foi vereador da primeira Câmara de Itaúna e ocupou o cargo de vice-presidente da mesma.
-Na câmara propôs a troca do nome da cidade(município recém-criado – 16/09/1901) para BURGANA (pequena cidade de Ana), não sendo aprovado.
-Bom amigo da paróquia,caridoso,bonachão.
-Soube reunir ao redor de sim simpatia e muita amizade.
-Faleceu em 28/02/1902.
-Após sua morte, a paróquia ficou seis meses sem vigário.
-Foi enterrado dentro na antiga Matriz demolida em 1934.

Fonte pesquisa: Jornal  O Paroquial
Páginas: 06 / 07 Abril 2001
Arquivo Fotográfico: Esposa  do Sr. Romeu (In Memoriam)


0 comentários:

Postar um comentário