quinta-feira, fevereiro 14, 2013

Primeira Igreja Cristã Batista de Itaúna


EGREJA BAPTISTA DE ITAÚNA

As origens da Egreja Baptista de Itaúna remontam a 1903, quando o Sr. João Antônio Soares, membro da egreja de Bello Horizonte, se transferiu para esta cidade, reunindo em torno de si os primeiros adeptos, que foram os fundadores da egreja local e cujos nomes são os seguintes:

Daniel F. Crosland                    
Messias Nogueira Soares
Joaquim Alves Pinheiro
Francisco Canuto da Silva
Archimedes Caire de Roure       
Theophilo Amancio das Chagas 
Florentino Ferreira de Sousa
Carlos Alves Galdino                 
Antonio José Rodrigues             
Americo Lopes                          
Francisco Manoel de Abreu
João Evangelista dos Reis
Antonio Querino Soares            
Abel João da Cruz e Sousa
Castorina Ferreira de Abreu      
Maria do Carmo Moreira

  Em 1913 já estava definitivamente fundada a egreja que, na falta de um templo, se reunia na residência de João Antônio Soares.  Só em 1915 é que, aumentado o numero de adeptos, se construiu o templo Baptista, em terreno cedido por João Antônio Soares, à rua da Alegria, hoje Mello Viana.

Producto de grande esforço e fé profunda, esse templo representa para os baptistas de Itaúna um atestado de alta significação espiritual e moral, pois é fácil de avaliar-se a dificuldade que venceram pra lançar uma religião combatida por todos os meios num centro de baixo nível mental que era Itaúna daquele tempo.

Essas dificuldades chegaram ao ponto de o então vigário da freguesia não consentir que fossem enterrados no cemitério os cadáveres de Américo Lopes Dias e João  Antônio Soares . Quando a intransigência  do vigário convenceu ao povo da impossibilidade desses sepultamentos, o que ia provocando uma reação violenta, pois os cadáveres ficaram insepultos vários dias, foi que as autoridades consentiram que fizessem os sepultamentos na própria  egreja Baptista.  E Américo Lopes foi enterrado no jardim e João Antônio Soares no interior do templo. A egreja Baptista continua abrindo caminho nos corações e bem grande já é o número das suas obras e adeptos em Itaúna .¹





Em 1943, conforme consta na ESCRITURA PÚBLICA DO CARTÓRIO DO 2º OFÍCIO do Tabelião JOSÉ EDWARDS SANTIAGO, às fls. 53 a 55 DO LIVRO DE NOTAS Nº 32,  a venda  de uma casa coberta de telhas, sem divisão interna, situada à Rua Afonso Pena (hoje Rua Zezé Lima) em Itaúna MG. O primeiro proprietário do imóvel foi João Antônio Soares e sua esposa, que o vendeu para  Associação  Evangélica Batista  do Rio de Janeiro. Em 08 de Outubro de 1943, representando como procurador da Igreja Batista do Rio de Janeiro, o Rev. Otis Pendleton Maddox, norte-americano, casado, missionário batista residente em Belo Horizonte, vendeu o imóvel para o senhor AUGUSTO ALVES DE SOUZA, casado, maquinista, residente em Itaúna, pelo valor de Cr$ 9.500,00 (nove mil e quinhentos cruzeiros). Diante do exposto, podemos concluir que a Igreja Batista teve seu primeiro templo à Rua da Alegria, depois mudou-se para a Rua Afonso Pena, (hoje Zezé Lima), nº 77, em Itaúna, tendo como responsável o Pastor João Antônio Soares.²



¹ Fonte pesquisa :  João Dornas Filho
Livro: Itaúna  Contribuição Para História do Município 1936  pags.:  56 , 57
Digitado conforme original.
² Fotografia e proprietário do imóvel: Sr. José Alves Nogueira  (Hoje com 95 anos)

Residente à Rua Zezé Lima 77.

Colaboração da pesquisa: Heloísa Oliveira

Elaboração: Charles Aquino/Juarez Nogueira

Fontes de pesquisas: Cartório  Registro De Imóveis de Itaúna

João Dornas Filho (Contribuição  Para História do Município. Pags.: 56 , 57)

História de Itaúna (Miguel Augusto G De Souza) pag. 210  

Um comentário:

  1. Interessante observar que assim como em Pitangui a resistência foi grande. A diferença é que em Pitangui os evangélicos só foram se estabelecer depois da segunda metade do século. Mas não sei muita briga.

    ResponderExcluir