quarta-feira, outubro 24, 2012

Rena Supermecado

"Sr. Juvico"


Juventino Aeraphe Da Silva

 Supermercados RENA - O Fundador

A Família de Juventino Aeraphe da Silva tem raíz no libanês MADIG MOSLCH AERAPH, que para se naturalizar Brasileiro necessitou alterar seu nome para FRANCISCO JOSÉ DA SILVA e receberia depois o apelido de "CHICO TURCO".  Nascido na cidade libanesa de Kfar Matta, a 80 quilômetros de Beirute, no Oriente Médio, em 1878, era filho de JOSEPH MOSLEH AERAPH e SALMA MOSLEH. Sua chegada ao Brasil se deu em 1905, portanto aos 17 anos de idade. Veio em busca das riquezas do Ouro em companhia do irmão FAND MOSLEH AERAPH que optou por morar na Argentina, e do primo GUSTAVO, fixou morada no povoado de Pedras, em Itatiaiuçu, então distrito de Itaúna. Logo que chegou ao pais procurou a Comunidade Libanesa do Brasil para filiar-se como vendedor ambulante e foi em suas andanças como vendedor libanês pelos municípios, distritos e povoados em volta de Itatiaiuçu que CHICO TURCO iniciou sua vida de comerciante. Andava a pé, levando sua mala, visitando fazendas nas grotas e cafundós. Durante seu trabalho de Mascate, conheceu FRANCISCA MARRA DA SILVA, que tinha ficado viúva aos 13 anos de idade e sem filhos, na fazenda do pai desta, Gregório Esteves Gaio (tio de meu avô José Esteves Gaio). O casamento foi realizado três anos depois quando CHICO TURCO se naturalizou brasileiro e já havia se estabelecido como comerciante em Itatiaiuçu, além de plantador de café na Serra dos Vieiros, ocasião em que também comprava, vendia e trocava mercadorias por ouro. Com a mulher FRANCISCA, também apelidada de CHICA TURCA, teve 11 filhos: Juventino Aeraphe da Silva, Juversina Maria de Jesus, José Francisco da Silva (Juca Turco) , Antônio Quirino da Silva (primeiro Prefeito Municipal de Itatiaiuçu em 1963), Amim Geraldo da Silva, Farid José da Silva (Dico Turco), Afonso Carmo da Silva, Divina Conceição da Silva, Lourdes Maria da Silva, Jandila da Conceição Silva e Jalile da Conceição Silva.
JUVENTINO AERAPHE DA SILVA, o Sô JUVICO, o filho mais velho de CHICO TURCO,  nasceu em Itatiaiuçu no dia 25/ 01/1908 e faleceu em 18/01/1970. Casou-se em primeiras núpcias com MARIA DA CONCEIÇÃO DE OLIVEIRA que faleceu subitamente cerca de 11 anos depois,  deixando-o com 5 filhos pequenos: ANTÔNIO (Tote) então com 9 anos, IRACEMA,  GETÚLIA, SHERIFE e MÁRO (faleceu ainda criança). Ficou viúvo por pouco tempo, casando-se novamente com MARIA CAROLINA MORAIS DA SILVA (Dª ZINHA), com quem teve mais 9 filhos: PLÍNIO (Lili), ÁLVARO (Loro), SIGMAIR (Dil), BENIGNO NABOR, RENATO ARNALDO, APARECIDA, MÚCIO,  JUVENTINO WANDEIR (Wands) e ZILÁ. Dª ZINHA ou Dinha ZINHA como a chamavam os filhos do primeiro matrimônio assumiu a responsabilidade de criar como se fossem seus, os filhos de Juvico  que também a chamavam de MAMAE . Em Itatiaiuçu Sô JUVICO mantinha a família com a loja de tecidos e armarinho, onde seu filho NABOR desde bem pequeno com 7 anos já o ajudava muito e com quem aprendeu a contar como seu braço direito. Como grande empreendedor Sô Juvico teve a visão de crescer seu comercio e resolveu junto com Nabor a abrir uma loja em Itaúna! Então  em 28 de Junho de 1957, Nabor com 15 anos de idade, veio para Itaúna sozinho montar e tomar conta da loja em sociedade com seu pai,  a loja São Sebastião de Itatiaiuçu foi montada na Rua Antonio Corradi esquina com a Av Jove Soares onde criaram o que é hoje o maior ponto Comercial de Itaúna. O Sr. JUVICO veio com a família 6 meses depois que o novo negocio estava ja estabilizado. A loja sortida com artigos variados como sapatos, aviamentos, bijuterias, artigos de perfumaria, logo fez sucesso na cidade.  Muito comunicativo Sô JUVICO ficou muito conhecido por toda vizinhança e aos poucos foi cativando seus fregueses, sempre muito simpático com todos. Todos os meses Sr. JUVICO e seu filho NABOR pegavam suas "malas" e iam para Belo Horizonte fazer compras. Bons comerciantes e grande visão de futuro, foram percebendo a necessidade dos clientes e resolveram ampliar o negócio, instalando bancas onde vendiam frutas, doces e bolinhos feitos por Dª ZINHA, a matriarca da família. Logo foram aparecendo novos fregueses e o Sr. JUVICO, que dividia com NABOR a administração dos negócios, viu-se obrigado a diminuir a loja de armarinhos e acrescentar a venda produtos alimentícios. Nascia assim a "VENDA DO JUVICO". O negócio foi prosperando. Em 1967, onde hoje está Loja Matriz, à Rua Antônio de Matos, estava o casarão do Sr. Juquita Antunes (pai do Dr. Délio e onde ele e os irmãos nasceram. Conheço bem tal fato porque defronte, onde está hoje a Padaria do Zé Brotinho e o escritório da Cemig, existia o casarão e a oficina de meu avô ZECA FRANCO, onde passei parte de minha infância). Em 16/08/67 alugaram dois cômodos e transformaram as 2 janelas em portas, inaugurando a primeira filial. Nesta época Nabor passou a contar com a ajuda do irmão RENATO para tomar conta da filial e posteriormente se tornar sócio do negocio.  Em 1970 faleceu o Sr. JUVICO, deixando para seus filhos a missão de continuar os negócios. Em 1972 NABOR montou o primeiro armazém da cidade, na praça Dr. Augusto Gonçalves, com o nome de "Pegue e Pague" ou seja, a filosofia do auto-serviço, usando prateleiras onde os próprios fregueses escolhiam as mercadorias e pagavam na saída. Estava inaugurado um modelo que era novidade pelo mundo , o modelo do Supermercado, na época tambem chamado de Armazém. Neste ínterim o Sr. Juquita Antunes vendeu seu casarão e os agora socios RENATO e NABOR transferiram a filial para a Lagoinha, onde hoje está a sorveteria Kalafrio. Em 1973,  onde existia o casarão, estava pronto o atual prédio e surgiu aí a oportunidade de comprar um ponto na Rua Antônio de Matos. NABOR e RENATO uniram todas as suas forças e se desfizeram de suas duas lojas para montar o primeiro RENA em  1974. RENA leva as iniciais seus sócios RE de Renato e NA de Nabor e ainda o slogan: Real Economia Na Alimentação.

FRUTOS DO TRABALHO e da vida do grande visionário
"JUVENTINO AERAPHE DA SILVA", o eterno SÔ Juvico! 

Texto: Juarez Nogueira Franco

Fontes de Consulta:

-   Guaracy de Castro Nogueira
-   Nágela Chaves Silva Maromba  -  (neta)
-   Valdete Silva Nogueira e Franco - (neta)
-  postagem: Charles Aquino


0 comentários:

Postar um comentário