domingo, outubro 28, 2012

Estrada de Ferro Itaúna


 Ano  1909

 Inicia-se a construção do ramal da Estrada de Ferro de Minas, que ligaria Belo Horizonte a Divinópolis, sendo empreiteiro das obras o engenheiro Emílio Schnoor.
Quando o Governo Hermes da Fonseca resolveu cumprir os projetos do seu antecessor, ligando Belo Horizonte  à Oeste de Minas , os municípios de Pará e Itapecerica se esforçaram denodada e justamente por atrair o ponto de junção das linhas e , se o conseguissem, privariam Itaúna desse grande melhoramento.
O Dr. Augusto Gonçalves foi incansável no evitar essa solução, conseguindo modificar os projetos em deliberação.
Um dos traçados desse ramal, segundo estudos dos engenheiros José Francisco Cantarino e Guilherme Greenalgh (1904-1908) e que foi aceito, por instâncias do Dr. Augusto, por um decreto do Governo Federal pra base dos estudos definitivos, passaria nas seguintes localidades: Chôro (perto da antiga estação de Alberto Isaacson), Salgado, Santanense, Itaúna,Soledade, Mateus Leme, Capela Nova e Belo Horizonte.
Por este traçado a estrada percorreria o município de Pará desde o rio Paraopeba até a fazenda do Azambuja, e de Água Limpa até o Chôro, em extensão de 50 km; enquanto percorreria o município de Itaúna na distância de 42 km.
De Belo Horizonte ao Chôro, passando por Itaúna, a distância pelo traçado Cantarino – Greenalgh, seria de 134 quilômetros.
Havia outro traçado estudado       (porém não adotado)       autoria dos engenheiros Eduardo Pôrto, José de Góis Artigas e José Duarte Pinto, de Belo Horizonte ao Chôro, mas passando pela cidade do Pará, com 156 km e 155 mts...
Em 1926, quando se cogitava de uma ligação mais curta com o sul de minas, estudou-se uma linha que partisse de Itaúna e fôsse ter à  Andrelândia, também estação da Rêde Mineira de Viação.
O serviço de construção do ramal iniciou-se em 4 de abril de 1909, sendo seu empreiteiro o engenheiro Emílio Armand Henri Schnnoor.

João Dornas Filho : Efemérides Itaunenses  Págs.: 42/43

0 comentários:

Postar um comentário