domingo, setembro 02, 2012

Água (Parte 3)


3ª Etapa

Ribeirão do Sumidouro é a conhecida PRAINHA ou PRAIA. Foi justamente nesta época que foi instalada a primeira rede subterrânea de abastecimento d'água em Itaúna. Segundo dizia meu pai, quem comandou tal trabalho foi o Sr. Cirilo José Gomes, bombeiro. Meu avô Zeca Franco  (assunto deste site) também participou. Ainda segundo meu pai (falecido em 18/01/2008), o Sr. Cirilo sabia de cabeça onde passava cada tubo em cada rua do centro da cidade. Este plano de abastecimento durou até o mandato do Prefeito Dr. Antônio Augusto de Lima Coutinho - DR. COUTINHO - quando a cidade crescia e precisava aumentar a oferta de água. Voltando ao Córrego do Sumidouro, PRAINHA ou simplesmente PRAIA, até a década de 70 cortava a cidade com um grande canal de esgoto a céu aberto. Todas as residências, curtumes (havia 3) e açougues que ficavam à direita da Avenida Getúlio Vargas, sentido  SENAI, tinham no fundo do quintal tal ribeirão, o mesmo acontecendo com as que ficavam ao longo das ruas XV de Novembro e Rua Santana. TODO O ESGOTO era jogado no ribeirão. Era um mau cheiro horrível. Em época de chuvas, o ribeirão não suportava o volume de água e sempre havia enchentes, levando as pontes de madeira então existentes e que ligavam o centro ao outro lado da cidade (Bairro da Piedade) . Os moradores improvisavam "pinguelas". Nós, como crianças, íamos sempre ver as enchentes. Somente na administração do Sr. Francisco Ramalho é que foi feita a canalização e urbanização, surgindo a atual Avenida  Jove Soares onde, entre uma pista e outra, corre o Ribeirão do Sumidouro.  



- 01) - Texto: Juarez Nogueira Franco
- 02) - Pesquisa: Efemérides Itaunenses  João Dornas Filho
- 03) - Pesquisa: Juarez Nogueira Franco &  Charles Aquino
- 04) - Revisão & Arquivo: Prof. Marco Elísio Chaves Coutinho

2 comentários:

  1. Muito bom saber disso...ótimo post, de utilidade pública.

    ResponderExcluir
  2. É isso aí, Charles Aquino. E ainda tem itaunense que não conhece João Dornas Filho, acham apenas que é apenas o "nome de uma escola", outros preferem reduzir sua importância classificando-o como "autodidata. Não pretendo torná-lo um mito, ou elevá-lo aos píncaros da glória, quero apenas que seja lido por nossas crianças, que conheçam a seriedade de seu trabalho e a riqueza de suas pesquisas. Obrigado por mais essa informação.

    ResponderExcluir