sexta-feira, abril 13, 2012

Cemitério

                 
Segundo Cemitério de Itaúna



Foram os missionários Barbôneos e o povo que construíram o segundo cemitério de Itaúna.
Foram gastos vários meses e a construção ocupou centenas de pessoas. Pela madrugada, logo após as pregações da manhã, os Barbôneos reuniam os fiéis e se dirigiam em fila para o morro da Lage e de lá traziam as pedras para os muros. Estes, obra perfeita e admirável de alvenaria de pedra seca,foram demolidos em 1933 para o início das obras da nova matriz e depois abandonadas.  Diz a lenda que a primeira pessoa enterrada nele foi uma criancinha,filha de uma moça solteira que vivia no arraial. Contam assim: Tendo o frei Eugênio pedido que o povo plantasse roseiras e outras flores no cemitério, essa moça,galhofando , dissera:
- A única roseira que tenho é essa( indicou a criança); e essa não plantarei
Dois dias depois estava morta a menina, e foi a primeira pessoa sepultada no cemitério...
Mas a história não confirma a lenda. O primeiro cadáver sepultado no cemitério de Frei Eugênio foi o crioulo Fortunato, escravo de Capitão Felizardo Gonçalves, em 21 de dezembro de 1853.







0 comentários:

Postar um comentário